Anatoli

Anatoli

domingo, 28 de julho de 2013

COMUNISMO E TOTALITARISMO PETISTA

Por Carlos Reis

Publicado em 12/07/2013

O Partido dos Trabalhadores e o governo Dilma mostram sua face totalitária. Reação às manifestações são totalitárias, de força. O comunismo mostra a sua cara. Brasil da inflação petista, da corrupção bilionária da Petrobrás que começa a ser investigada; Eike Batista e seu escandaloso golpe com a ajuda de Lula no BNDES. O Foro de São Paulo está sendo mostrado pelo próprio governo Dilma. O segredo está acabando. Médicos escravos é loucura petista. Soluções Inconstitucionais, estúpidas e burras.
 


sexta-feira, 26 de julho de 2013

O MARXISMO E A DESTRUIÇÃO DAS FAMÍLIAS

O tema abordado neste Parresía é o fundamento filosófico e histórico da guerra que está sendo travada atualmente contra a família. Ela se manifesta de diversas formas: divórcio, depravação moral, perversão na educação, uniões diversas, principalmente, a união homossexual. De onde vem essas ideias? Serão elas produtos da "evolução" da sociedade? Surgiram de maneira natural? Seria possível interferir, parar o processo?
 
Algumas pessoas poderão se surpreender ao serem informadas de que existe  um objetivo bem claro nessa luta e que nada nela acontece ao acaso. A origem remonta a Karl Marx e seu ideal socialista. Assim, baseando-se nos escritos marxistas, Padre Paulo Ricardo faz uma reflexão sobre a tentativa persistente de destruição da família.
 




sexta-feira, 19 de julho de 2013

OS PERIGOS DO VETO PARCIAL DO PLC 03/2013



Na iminência da sanção presidencial ao PLC 03/2013, alguns setores manifestaram-se pela sugestão de veto parcial a alguns artigos do projeto. Essa postura foi adotada também pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil que, a título de informação, emitiu uma nota aos seus membros.
Porém, aquela opinião não é unânime. Alguns setores entendem que o projeto é nefasto e que, caso seja sancionado sem veto ou mesmo vetado parcialmente, significará um caminho sem volta para a prática irrestrita do aborto no Brasil.
A história do avanço da cultura da morte no mundo e da liberação do aborto em países latino-americanos comprovam que basta uma pequena faísca perto de um punhado de pólvora para que o fogo se espalhe. Foi o que aconteceu no Uruguai, e é o que acontecerá no Brasil caso o PLC 03/2013 não seja TOTALMENTE vetado pela presidente Dilma.
No Programa Ao Vivo, veiculado excepcionalmente na data de 19 de julho de 2013, Padre Paulo Ricardo faz uma grave denúncia: o que parece ser uma medida que trará benefícios às vítimas de violência sexual, na verdade não passa de um "cavalo de Tróia" que introduzirá de maneira irreversível o aborto no Brasil.
Mais que isso, Padre Paulo Ricardo pede aos setores que estão apoiando o veto parcial, inclusive para a CNBB, que reconsiderem, que levem em conta o que a história demonstra com os fatos e que não se deixem levar por opiniões baseadas na letra da lei, afinal, um papel em branco aceita qualquer palavra. O dia a dia pode ser bem diferente do que a academia diz e o sangue dos bebês abortados poderá manchar, sem dúvida alguma, as mãos de todos os envolvidos. O pecado do aborto é um crime que clama aos céus.
Obedeçamos ao Papa Francisco: defendamos a vida "desde a concepção até o seu fim natural." Obedeçamos.

Links dos documentos citados neste vídeo:

  1. PL-20-1991
  2. Folha - Aborto 97-98
  3. Norma Técnica - José Serra - 1998
  4. Norma Técnica - José Serra - 2002
  5. Norma Técnica - Humberto Costa - 2005
  6. Norma Técnica - Atenção Humanizada - 2005
  7. Norma Técnica - 2012

segunda-feira, 15 de julho de 2013

O EVOLUCIONISMO DE CHARLES DARWIN: Sentido, história e erros filosóficos



Título da aula: O evolucionismo de Charles Darwin: sentido, história e erros filosóficos.
Apresentação: Guilherme Chenta.
Exposição: Professor Dra. Marina Vanini.
Data de gravação: 26/11/2010.
Data de publicação: 03/12/2010.
Duração: 94 minutos.
Pauta:
1.    Introdução: a importância do tema;
2.    O evolucionismo como dogma da mentalidade moderna;
3.    O que é a Teoria da Evolução?;
4.    Erros filosóficos da Teoria da Evolução;
Bibliografia básica:
1.    CHARDIN, Pierre Teilhard de. O Fenômeno Humano. Tradução e notas José Luiz Archanjo. São Paulo: Editora Cultrix, s/d.
2.    CUÉNOT, Claude. Aventura e visão de Teilhard Chardin. Tradução Camilo Martins de Oliveira. Lisboa: Livraria Morais Editora, 1996.
3.    DARWIN, Charles. A origem das espécies. Esboço de 1842. Tradução Mario Fondelli. Rio de Janeiro: Newton Compton Brasil, 1996.
4.    __________. The origin of Species, 6a. ed. Cricket House Books, 2010.
5.    DI MARE, Rocco Alfredo. A concepção da teoria evolutiva desde os gregos. Idéias controvérsias e filosofias. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2002.
6.    DOBZHANSKY Theodosius. Genetics of the evolutionary process. Columbia University Press, New York, 1970.
7.    DUPOUEY, Patrick. Épistémologie de La biologie. La connaissance du vivant. Paris: Editions Nathan, 1997.
8.    FEDELI, Orlando. Evolucionismo: dogma científico ou tese teosófica? in Montfort.org.br
9.    GRAY, Ronald Douglas. Goethe the alchemist. A study of alchemical symbolism in Goeth’s literary and scientific works. Cambridge: Cambridge University Press, 1952.
10.  GILSON, Etienne. From Aristotle to Darwin and back again. A journey in final causality, species, and evolution. Translated by John Lyon. San Francisco: Ignatius Press, 2009.
11.  RUFFINI, Cardinal Ernesto. The theory of evolution judged by reason and faith. Translated by Rev. Francis O’Hanlon. Boonville, New York: Preserving Christian Publications, 2008.
12.  SOBER, Elliot. Philosophy of Biology. Westview Press; 2nd edition, January 12, 2000.

sábado, 13 de julho de 2013

QUAL O CAMINHO PARA UM PAÍS MAIS JUSTO?




Diante das manifestações populares ocorridas nas últimas semanas por todo o país, resta uma pergunta: como é possível promover a justiça na sociedade brasileira?
Pode parecer anacrônico, mas é um teólogo do século XIII que pode iluminar o caminho. Santo Tomás de Aquino, em sua obra Suma Teológica, afirma que existem duas maneiras de se promover a virtude em uma sociedade. A primeira é pela sanção das leis, ou seja, as leis são promulgadas e o seu não cumprimento gera penalizações. A segunda é pelo chamado "conselho paterno". Nesse caso não é necessária a sanção, a disciplina externa, mas tão-somente o reconhecimento de uma aliança paterna que pode se dar com a própria família ou uma filiação espiritual. (conf. I-II, q. 95, a. 1)
O conselho paterno só poderá ser dado pela família ou pela Igreja, jamais pelo Estado, pois não é sua função. Ao Estado cabe cuidar dos indisciplinados, aqueles que se inserem na primeira categoria mencionada. Ele deve conter os desordeiros para que haja um ambiente de liberdade e de virtude em que, outros agentes sociais, como a família e a Igreja, possam realmente educar as pessoas.
Proclamar que o Brasil é um Estado laico é afastar a Igreja e, consequentemente, a família de sua função de educar as pessoas, jogando para o Estado uma função que não é dele: educar para a virtude.
O encargo de instruir para a virtude não cabe a nenhum Estado, muito menos deste que governa o Brasil. Pelo simples motivo de que é um governo formado por pessoas que não acreditam nas virtudes, querem nivelar a todos por baixo. Essa afirmação é facilmente comprovada pela distribuição de cartilhas que ensinam crianças, jovens e adultos a usarem "corretamente" as substâncias entorpecentes. Ou pelas cartilhas distribuídas para as prostitutas, ensinando-as a se prostituirem adequadamente. Ou ainda pelas cartilhas que ensinam às crianças como se relacionarem sexualmente.
Disso infere-se que este governo não crê nas virtudes. A teoria adotada por ele, a do chamado menor dano é tão absurda e fora de propósito que acabará levando o país ao caos. A sociedade possui seus valores, antes mesmo de o governo existir. Por isso o Brasil vai mal, pois está tentando conter a desordem social somente pelo recurso da sanção da lei.
O caminho é o do conselho paterno, como ensinou Santo Tomás. Para isso, é necessário deixar de lado a ideia do Estado laico, bem como a afirmação equivocada de que a Igreja não possui um papel social. Ela possui sim, e é o de moldar os valores neste país.

Fonte original:
- Copiado do site do Padre Paulo Ricardo.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

A BADERNA NACIONAL E O "HOMEM MASSA"

Quem está por trás do badernaço brasileiro? A quem isso interessa? Qual o propósito?

LIÇÕES DAS RUAS EFERVECENTES