Anatoli

Anatoli

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

AMEAÇA CONTEMPORÂNEA: CUIDADO !!!

QUANDO A BURRICE E A IGNORÂNCIA ATENTAM CONTRA A LIBERDADE E À SEGURANÇA NACIONAL

"Jamais poderia imaginar que um grupo de parlamentares brasileiros eleitos sob o embalo de propostas eminentemente conservadoras de Jair Bolsonaro, algo inaudito na nossa história desde o golpe da República de 1889, haveria de anuir a um convite da camarilha comunista chinesa para conhecer o mais brutal sistema de controle de cada cidadão."

- Aluízio Amorim.



Na esteira da caravana do PSL que zarpou para visitar a China, devemos questionar exatamente qual o sistema chinês que poderia ser modelo para o mundo. O que a ditadura de Xi estaria pronta para exportar para o mundo?
A resposta é um sistema de vigilância nunca antes visto no mundo, capaz de reconhecer faces e rastrear o comportamento de cada cidadão e cuja implantação é o primeiro passo para a criação de um sistema de crédito social, formado na China para controlar todas as pessoas e, finalmente, criar uma sociedade em que cada um seja o vigilantes do comportamento de todos os seus compatriotas, defendendo, na sociedade, o governo, que é, por sua vez, a própria materialização do poder do Partido Comunista Chinês.
Essa mecânica só é possível devido a um projeto extremo de capitalismo de compadrio em que, numa dança louca entre o governo e as corporações chinesas, não há fundamentalmente diferença alguma entre o privado e o público. Desta forma, o próprio governo da China se encarna em empresas como a Huawei, que tornam-se uma máquina de espionagem capaz de transformar toda a sociedade em óleo para lubrificar a máquina do Estado.
Foi contra este mesmo sistema de vigilância sufocante que se insurgiram o Prof. Olavo de Carvalho e o restante da parte mais esclarecida da intelectualidade brasileira. É fato de que quando instalado um sistema de câmeras de reconhecimento facial no Brasil não só estaríamos entregando a vida dos cidadãos ao governo brasileiro a uma profundidade nunca antes vista, mas também ao próprio governo chinês, que, segundo denuncias recentes nos EUA e na Alemanha, tem disponíveis para si parte substancial dos dados coletados.
Neste caso, os deputados que foram à China para trazer esta monstruosidade ao Brasil não estavam nem ajudando a China a "comprar no Brasil", nem ajudando a China a "comprar o Brasil"; estavam, ao fim e ao cabo, em uma aventura cujo objetivo era comprar o grilhões made in China para amarrar nos próprios pés e nos pés de todo o povo brasileiro.
Tradução: Andrey Costa